Câncer renal

O câncer renal é o terceiro mais frequente de todos os cânceres, com uma alta incidência em países ocidentais. Nas últimas duas décadas, a incidência deste tumor apresentou aumento de 2% em todo mundo, sendo duas vezes mais frequente nos homens que nas mulheres.

Causas e fatores de risco

Fisiologicamente, os rins são dois órgãos localizados logo acima da cintura, um de cada lado, responsáveis por filtrar o sangue e produzir a urina, ou seja, todas as toxinas são eliminadas dos organismos a partir dos rins.

A maioria dos casos de câncer nessa região acometem homens, sobretudo os que estão entre os 60 e 70 anos de idade. Entre os fatores associados a causa estão o cigarro, obesidade, hipertensão arterial e fatores genéticos.

Embora os fatores de risco possam influenciar o desenvolvimento do câncer, a maioria não causa diretamente a doença. Algumas pessoas com vários fatores de risco nunca desenvolverão um câncer, enquanto outros, sem fatores de risco conhecidos poderão enfrentar a doença.

O carcinoma renal apresenta um grande espectro histopatológico, havendo três tipos principais: células claras, papilar (l e ll) e cromóforo. Além do padrão histológico, outras características tumorais grau nuclear, padrão sarcomatóide, invasão vascular e invasão do sistema coletor e da gordura perinefrética. Além disso, grau nuclear de Fuhrman.

  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Hipertensão
  • História familiar da doença
  • Doença de Von Hippel-Lindau e diálise
Cirugia robótica

Diagnóstico e Sintomas

De 6% a 10% dos pacientes apresentam dor no flanco, sangue na urina e massa abdominal palpável. No entanto, a forma mais frequente de diagnóstico são os achados incidentais em exames de rotina como a ultrassonografia do abdômen.

O diagnóstico definitivo da doença é feito por meio da ultrassonografia e da tomografia computadorizada do abdômen.

A tomografia é bastante útil no seu estadiamento (verificação da extensão para outros órgãos) e no planejamento da terapêutica mais adequada.

A biópsia renal pré-operatória normalmente não é realizada, e só é necessária em situações excepcionais, a fim de se diferenciar lesões malignas de benignas, as quais não necessitariam de tratamento.

Tratamento

Tratamento cirúrgico do câncer renal é indicado àquelas lesões que podem ser removidas por cirurgia mantendo parte do rim sadio. A robótica facilita muito esta modalidade de cirurgia.

Um dos principais meios de tratar o câncer de rim é por meio da cirurgia robótica. O procedimento, minimamente invasivo, tem alto percentual de sucesso, promovendo a rápida recuperação do paciente.

A precisão dos movimentos permite alcançar a cura removendo parcialmente o órgão, sendo que a parte que fica mantém seu funcionamento.

Outras opções de tratamento seriam: vigilância (acompanhamento dos tumores, especialmente em lesões menores e em pacientes idosos), terapias ablativas (crioablação e ablação por radiofrequência- utilizada para tumores menores, como alternativas à cirurgia tradicional), além de diversos agentes imunomoduladores e quimioterápicos para tumores avançados.